Arquivo de tag Gestão e Produtividade

Ricardo Jorge porRicardo Jorge

Telemetria o que é e para que serve

Neste artigo sobre Telemetria o que é e para que serve, será abordada a importância da coleta dos dados e status dos vários componentes que integram seu ambiente, permitindo que você entenda e conheça o que realmente ocorre, quando ocorre, por quantas vezes e, em quais circunstâncias.

O artigo abordará os seguintes aspectos sobre telemetria:

  • O que é
  • Para que serve
  • Onde aplicar
  • Qual a diferença entre telemetria e IoT
  • Resultados esperados com a telemetria

O que é telemetria?

O termo telemetria significa obter dados de uma maneira remota, ou seja, sem estar presente no local onde estes dados estão sendo gerados.

A distância deste local remoto pode ser de alguns metros até milhares de quilômetros.

É importante lembrar que a telemetria vem sendo utilizada por várias décadas e em inúmeros cenários e ambientes.

A telemetria utiliza coletores, também chamados de sensores, para obter status e dados.

Um status representa as duas condições possíveis que um elemento pode assumir, por exemplo, ligado ou desligado, aberto ou fechado.

Um dado é a representação dos valores que um determinado elemento pode assumir, exemplos:

  • Temperatura:
    • do ar,
    • do solo,
    • dos gases de exaustão de um motor,
    • do Data Center,
    • do paciente
  • Umidade:
    • do ar,
    • do solo,da sala de reunião,
    • do Data Center
  • Pressão:
    • da linha de vapor,
    • da linha de ar comprimido,
    • do combustível,
    • do óleo,
    • da água para o sistema contra incêndio,
    • arterial
  • Velocidade:
    • do sistema de ventilação
    • da esteira de transporte
  • Nível de Iluminação, natural ou artificial, incidindo em um ambiente
  • Nível de trepidação ou vibração de um equipamento
  • Contador de elementos passando pela esteira transportadora
  • Contador de pessoas passando por uma catraca
  • Percentual de renovação do ar da sala ou galpão
  • Quantidade de partidas de um motor
  • Tempo de operação de uma máquina
  • Consumo de energia elétrica, combustível ou água
  • Indicador do volume de um gás ou fluido em um reservatório

Ou seja, podemos aplicar telemetria em qualquer ambiente, quer seja industrial, residencial, comercial, agrícola, hospitalar, etc.

Para que serve a telemetria?

Toda vez que necessitamos monitorar e rastrear o estado e a qualidade de algo, precisamos coletar dados e status para sabermos se ocorreu algum desvio importante.

Através desta medição e coleta de dados e status, podemos tomar decisões e entender o comportamento real do que estamos monitorando.

Imagine um paciente em uma Unidade de Terapia Intensiva!

Como o médico poderá avaliar a evolução deste paciente, sem saber o que ocorre ao longo das horas e dos dias?

Algo similar ocorre em uma indústria, onde também precisamos obter dados sobre a produção e o comportamento dos vários equipamentos que compõem o chão de fábrica.

Onde aplicar a telemetria?

Como já vimos, a telemetria é uma coleta remota de dados e status, que pode ser aplicada a inúmeros casos, como:

  • Indústria em geral
  • Medicina
  • Cidades inteligentes
    • mobilidade urbana e semáforos inteligentes
    • iluminação pública
    • segurança pública
  • Prédios e casas inteligentes
  • Agricultura e pecuária
  • Geração e distribuição de energia elétrica
  • Logística e monitoramento de frota e mercadorias
  • Distribuição de água
  • Gasodutos e oleodutos
  • Equipamentos que ficam em locais remotos / de difícil acesso

A telemetria pode ser:

  • um serviço instalado, mantido e consumido internamente ou,
  • contratado de uma empresa especializada na prestação de serviços de medição, ou
  • utilizado por prestadores de serviço, empresas de manutenção, etc.

De posse deste conhecimento e, considerando um ambiente de produção, será possível gerenciar e planejar de forma mais adequada como utilizar melhor seus recursos, permitindo resultados mais positivos para o seu negócio, ao mesmo tempo que pode melhorar o atendimento e o relacionamento com seus clientes.

Quando consideramos o uso da telemetria na medicina, o conhecimento sobre o comportamento do paciente ao longo do tempo, permite ao médico inúmeras possibilidades para aprimorar e adequar o tratamento.

Muitas pessoas já utilizam Smartwatches que podem ser considerados coletores de alguns dados pessoais, como: quantidade de tempo em repouso ou em atividade, batimento cardíaco, pressão arterial, temperatura corporal, etc.

Pode ser que você já utilize telemetria sem perceber!

Qual a diferença entre telemetria e IoT?

Já faz algum tempo que ouvimos falar em Indústria 4.0, na Agricultura 4.0 e IoT e IIoT e a necessidade para adoção de novos padrões e metodologias para aprimorar a produção, diminuir o desperdício e otimizar seus processos de gestão.

De fato, Telemetria e IoT são a mesma coisa do ponto de vista conceitual da coleta de dados e status.

Um dispositivo IoT é comumente composto de um sensor que coleta o status e/ou os dados e opcionalmente de um atuador, que comanda algo, enquanto a Telemetria é normalmente composta por um dispositivo sensor.

Nada impede que exista um atuador junto com a telemetria.

Durante muitos anos um dispositivo de telemetria fazia apenas a coleta e enviava os dados através de um meio de comunicação que normalmente era algum tipo de rádio.

Muitos dispositivos IoT continuam fazendo a mesma coisa, mas a maioria utiliza a Internet como meio de comunicação, embora existam outras formas como, por exemplo, LoRaWan ou 5G.

Alguns dispositivos IoT, assim como os dispositivos usados em telemetria, também podem armazenar os dados para consulta futura e quando configurados desta forma, são denominados de data logger.

Sendo assim, atualmente Telemetria e IoT são formas diferentes para descrever uma coleta remota de dados e status.

Resultados esperados com a telemetria

Como já vimos, a telemetria pode e deve ser aplicada a qualquer perfil de empresa ou negócio.

Através da medição e do conhecimento da operação dos elementos e dispositivos, passamos a entender como realmente as coisas acontecem e, não somente como deveriam acontecer ou, foram projetadas e planejadas.

O uso da telemetria permite uma maior e melhor compreensão da operação dos vários elementos e dispositivos, facilitando o diagnóstico de falhas e até mesmo antecipando manutenções que passam de corretivas a preventivas.

A telemetria também se estende para outras áreas além da indústria e dois exemplos muito comuns atualmente, são a saúde e a logística.

Então, os principais resultados esperados com a implantação da telemetria são:

  • Otimização de gastos
  • Melhorias dos processos de produção e análise de causa raiz
  • Planejamento da manutenção
  • Otimização da produção

Você otimiza seu tempo e não desperdiça o tempo do cliente!

Em qualquer área ou negócio, todos esperamos por soluções e resultados positivos e não apenas desculpas!

Através do uso da telemetria ou IoT, é possível acompanhar o status e as coletas dos dados que serão utilizados para agilizar o diagnóstico e até mesmo prevenir falhas e problemas mais graves.


E você? Como faz a gestão de seu negócio?

Como acompanha a produtividade de seus equipamentos e recursos?


Artigos relacionados:

Indústria 4.0 aplicada na pequena indústria

IoT e os dados dos sensores e do CLP

História do Controlador Lógico Programável

KPI o que é e para que serve

Séries históricas e IoT – conheça planeje e decida


Image by GraphicMama-team from Pixabay
Ricardo Jorge porRicardo Jorge

Diferenças entre KPI e OKR

Neste artigo sobre Diferenças entre KPI e OKR, abordaremos os indicadores de eficácia com que sua empresa segue metas estabelecidas (KPI), junto a objetivos definidos como os principais resultados (OKR).

É importante notar que KPI e OKR podem ser complementares e, em alguns cenários, os melhores resultados ocorrem quando são utilizados em conjunto.

KPI ( veja o artigo sobre KPI ) significa Key Performance Indicator, que demonstra a eficácia com que sua empresa está se movendo em direção a metas definidas.

Os KPIs ajudam empresas, departamentos, equipes e indivíduos a definir metas claras e monitorar o progresso mostrado através das métricas utilizadas para uma determinada KPI.

OKR significa Objectives and Key Results, um conjunto de metas que ajuda as empresas a estabelecer “objetivos” juntamente com os “principais resultados”, que ao serem medidos, apoiam a realização de cada objetivo.

Os OKRs nos negócios são usados para comunicar os resultados desejados em toda a organização, focar nas áreas mais importantes que precisam de melhorias e entregar resultados valiosos para os negócios.

O objetivo dos OKRs é definir o que exatamente você precisa melhorar e, com base nisso, como investir seu tempo nesse objetivo.

Você deverá ter foco para não desviar de suas metas, não realizando ações desnecessárias, ao mesmo tempo em que persegue seus objetivos.

Algumas considerações e exemplos sobre OKR

Precisamos ter em mente que os Key Results não são metas “absolutas”, mas sim, resultados mensuráveis que indicam o sucesso ou fracasso do Objetivo de forma clara e não subjetiva.

Se você planeja melhorar seu negócio, então que tipo de resultados mostrará que você teve sucesso?

Uma forma mais fácil de abordar OKR é separá-lo em duas partes, sendo uma para “O” que é o seu Objetivo e outra para “KR” que são indicadores de resultado..

Exemplo para um caso de RH:

“O” – Tornar o equilíbrio entre vida profissional e pessoal uma prioridade para todos os funcionários.

“KR” – Melhorar a pontuação da pesquisa de equilíbrio entre vida profissional e pessoal para X

“KR” – Reduzir as horas extras em X

“KR” – Aumentar a pontuação da pesquisa semanal de satisfação para X

Exemplo para um caso de engenharia e desenvolvimento de produtos:

“O” – Acelerar a implantação de correções de bugs importantes

“KR” – Reduzir o tempo das correções de bugs de X para Y

“KR” – Reduzir as reclamações dos clientes em X%

Como definir seu Objetivo?

Para verificar se a sua definição de Objetivo está adequada, responda as perguntas abaixo:

  • O objetivo é amplo para sua avaliação e perspectiva?
  • O objetivo é inspirador?
  • O objetivo ajuda a atingir os objetivos da empresa?
  • O objetivo está alinhado com a estratégia corporativa?
  • O objetivo é indispensável?
  • O objetivo é coerente com o período de tempo definido para sua execução (timeboxing)?

Como definir seus KRs – Indicadores de Resultado?

Já para a parte “KR”, verifique os seguintes itens:

  • Você consegue medir com clareza, o que deseja como resultado?
  • O indicador selecionado demonstra o nível de sucesso para o seu Objetivo?
  • Tenha em mente que os Principais Resultados são resultados e não atividades/tarefas.
  • Não utilize mais do que 3 ou 5 “KR” para cada “Objetivo”.

Como definir seu OKR?

E para finalizar, valide seu OKR com a lista abaixo:

  • O Key Result adere ao SMART? (Specific, Measurable, Actionable, Relevant, Time bound)
  • O KR é um resultado e não apenas mais uma tarefa/atividade?
  • O KR ajuda a atingir o objetivo ao qual pertence?
  • Existe um cronograma definido para o KR?
  • O KR pertence a uma categoria de meta inspiradora (stretch goal) ou operacional?
  • O KR é importante o suficiente para aparecer no top 5 KRs para o objetivo?

SMART é um conjunto de critérios para conduzir a definição de metas e objetivos em diversas áreas.

Traduzido para o português como: Específico, Mensurável, Alcançável, Relevante e Temporal (relacionado ao Tempo).

De forma ideal, todo objetivo de uma empresa, departamento ou time deveria ser:

  • Específico – focar em uma área ou assunto específico para desenvolvimento.
  • Atribuível – especificar quem irá fazer.
  • Mensurável – quantificar ou, pelo menos, sugerir um indicador de progresso.
  • Realista – considerar resultados que podem ser atingidos de forma realista, dados os recursos disponíveis.
  • Relacionado ao Tempo – especificar até quando o(s) resultado(s) podem ser alcançados.

Qual dos 2 indicadores ( KPI / OKR ) é mais importante?

Após esta introdução, você provavelmente está se perguntando qual deles é mais importante e porque não posso usar apenas um deles?

Bem, se está em dúvida sobre utilizar KPI ou OKR, tudo depende do que você deseja medir.

Por exemplo, se você deseja dimensionar ou melhorar um plano ou projeto que já foi feito antes, os KPIs podem ser a melhor opção. Eles são diretos e permitem que você adicione um sistema de medição aos seus projetos e processos em andamento.

No entanto, se você tem uma visão maior ou deseja mudar sua direção geral, os OKRs podem ser a melhor alternativa. Eles têm maior profundidade o que permitirá que você expanda seus objetivos ainda mais e seja um pouco mais criativo sobre como planeja alcançá-los.

Os objetivos devem impulsionar o crescimento, a mudança ou a inovação em sua empresa ou equipe. Eles devem ser motivacionais, orientadores e fornecer clareza suficiente.

O Objetivo não deve ter um número – é para isso que servem os Indicadores de Resultados.

Os indicadores de resultado devem ser mensuráveis, portanto, se você não tiver um número, não é um indicador de resultado. Verifique com frequência seus indicadores de resultados para saber se está no caminho certo.

Importante notar que os indicadores de resultados não devem ser binários e tão pouco devem ser KPIs.

Agora que você já sabe as diferenças entre KPI e OKR, como pretende utilizá-los em sua empresa ou negócio?

Deixe seu comentário abaixo.


Artigos relacionados:

KPI o que é e para que serve

Outros artigos no BLOG:

Como desenvolver vender e ter sucesso com IoT

IoT o que fazer após a instalação?

O que você precisa saber sobre NFT


Image by PIRO4D from Pixabay

Ricardo Jorge porRicardo Jorge

KPI o que é e para que serve

Neste artigo sobre KPI o que é e para que serve, veremos a importância da definição e do acompanhamento das métricas relevantes a um processo, produto ou serviço.

Para a correta gestão de qualquer iniciativa, além de definir metas, precisamos acompanhar continuamente os resultados obtidos e ajustar o que for necessário para o sucesso desta iniciativa.

Primeiro é necessário definir KPI que em inglês significa Key Performance Indicator ou Principal Índice de Desempenho ou ainda Indicador-Chave de Desempenho.

Vejamos ainda, a frase abaixo atribuída a William Edwards Deming:

“Não se gerencia o que não se mede,

não se mede o que não se define,

não se define o que não se entende,

e não há sucesso no que não se gerencia

Diferentes perfis de empresa e negócio possuem KPIs específicos.

Nós mesmos temos nossos KPIs:

  • Quantas horas investi em meus estudos e projetos pessoais?
  • Como está o saldo da conta bancária ou de investimentos?
  • O carro tem combustível, ou bateria, suficiente para chegar ao destino?
  • Tenho comida suficiente até a próxima compra?

Para uma indústria seriam:

  • Quantidade de peças produzidas
  • Satisfação dos clientes e índice de falhas dos produtos
  • Horas em operação de um equipamento, visando a manutenção preventiva
  • Treinamento ou requalificação das Equipes
  • Acompanhamento do consumo de água e energia elétrica

No âmbito de T.I costumamos utilizar:

  • Acompanhamento dos recursos de infra ( CPU, memória, uso do espaço de armazenamento )
  • Uso dos recursos de Rede Local e Internet
  • Tempo de resposta e disponibilidade dos serviços
  • Treinamento ou requalificação das Equipes
  • Atendimento de incidentes e o tempo para resolução

Para a Equipe de Marketing, parte dos dados de T.I. refletem outras informações ( insights )

  • Quantidade de acesso ao Site institucional ou Site de Vendas que efetivam a compra (conversão)
  • Horários, dias da semana ou datas especiais com maior acesso ao Site de Vendas
  • Perfil dos usuários que acessam o Site de Vendas ( ou institucional )
  • Nível de satisfação dos clientes com os produtos e / ou serviços
  • Efetividade das campanhas de marketing junto aos clientes

Insight é a compreensão de uma causa e efeito específicos dentro de um contexto particular.

Em todos os aspectos, é possível verificar que precisamos medir e avaliar o estado atual para determinar se está dentro do que esperamos ou necessitamos.

Escolha e acompanhamento dos indicadores (KPI)

Existe uma frase que diz “o que é medido é concretizado”, mas como a medição em si é feita?

Abaixo existem algumas etapas importantes a serem consideradas no rastreamento eficaz de KPIs que fazem parte de sua estrutura de gerenciamento de desempenho.

Etapa 1: Escolha uma ou duas medidas que contribuam diretamente para cada um dos seus objetivos.

Embora existam inúmeras partes que são essenciais para a operação e desempenho de uma empresa ou negócio, não é possível ou eficiente rastrear tudo o que está acontecendo.

De um lado, nem todas as medidas são importantes o suficiente para rastrear.

Por outro lado, rastrear muitas medidas cria um trabalho desnecessário que, em última análise, não será útil.

Em vez disso, escolha uma ou duas métricas para cada um de seus objetivos que serão mais úteis para medi-los e alcançá-los.

Várias métricas podem ser aplicadas, mas apenas algumas delas terão impacto suficiente para melhorar o desempenho.

Etapa 2: verifique se suas medidas atendem aos critérios para um bom KPI.

Além de garantir que os KPIs escolhidos sejam verdadeiros indicadores de desempenho, eles também devem ter algumas características adicionais que sinalizarão sua eficácia.

Faça estas perguntas sobre cada KPI que você está considerando:

  • Pode ser facilmente quantificado?
  • Somos capazes de influenciar/dirigir mudanças usando este KPI ou está fora do nosso controle?
  • Este KPI se conecta ao nosso objetivo, bem como à estratégia geral?
  • É simples de ser definido e entendido?
  • Pode ser medido de maneira oportuna e precisa?
  • Contribui para uma ampla gama de perspectivas – ou seja, Cliente, Financeira, Processos Internos, Aprendizagem e Crescimento?
  • Continuará relevante no futuro?

Etapa 3: Atribua a responsabilidade de cada KPI a indivíduos específicos.

Os KPIs são uma ferramenta importante para medir o progresso, mas é mais provável que gerem melhores resultados se alguém for designado por rastreá-los e reportá-los.

Cada parte responsável por um KPI fará o máximo para demostrar bons resultados referentes a métrica de sua responsabilidade.

Desta forma os resultados tendem a ser melhores, pois todos estarão motivados e focados no sucesso da iniciativa.

Etapa 4: Monitorar e relatar os KPIs.

Por fim, é necessário revisar continuamente seus KPIs e o desempenho apresentado por eles, com uma frequência que faça sentido para os seus objetivos.

Para alguns casos os relatórios poderão ser semanais, mensais, trimestrais ou predefinidos pelo negócio.

O monitoramento regular facilita a visualização do período de tempo em que algo pode ter um desempenho inferior ou superior, bem como o que pode ter acontecido nesse período para causar a mudança.

O conjunto de indicadores de performance (KPI) dever ser selecionado de tal forma que permita uma visão clara e objetiva para o acompanhamento dos resultados e metas desejados e definidos.

E para você, o que é e para que serve um KPI?

Deixe seu comentário!


Artigos relacionados:

IoT e os dados dos sensores e do CLP

Séries históricas e IoT – conheça planeje e decida

Indústria 4.0 aplicada na pequena indústria

Os caminhos para Transformação Digital

Você quer ser alguém ou ninguém?


Photo by Arie Wubben on Unsplash