Arquivo mensal 27/11/2021

porRicardo Jorge

Os caminhos para Transformação Digital

Neste artigo sobre Os caminhos para Transformação Digital, será feita uma avaliação sobre as principais formas de conduzir adequadamente a Transformação Digital para que seja rápida, eficiente e duradoura.

Imagino que a maioria dos leitores já tenha ouvido falar sobre Transformação Digital muitas e muitas vezes e isso se deve a importância que este assunto tem para empresas e organizações de todos os tipos e tamanhos.

A Transformação Digital está mais perto do que você imagina! Basta olhar para os pequenos restaurantes e pizzarias que aceitavam pedido só por telefone e agora utilizam um aplicativo para Smartphone.

Aqui não serão abordadas metodologias e ferramentas porque tudo depende do perfil do seu negócio, da maturidade de seus colaboradores e, principalmente, da capacidade e urgência para investir nas ações necessárias para esta transformação.

É fácil mostrar casos de sucesso onde foram investidas enormes quantias e feita aquisição de ferramentas complexas para proporcionar os resultados mostrados para o público, o mercado e seus concorrentes.

Não importa o tamanho de sua empresa ou negócio, a transformação Digital poderá ajudar em várias frentes, proporcionando ganhos e melhorias no posicionamento de seus produtos e serviços para o mercado e, principalmente, no relacionamento com seus clientes.

Como devo iniciar a Transformação Digital?

Na maioria das vezes, o processo tem início à partir de uma visão estratégica vinda dos gestores da empresa, ou o chamado Nível “C” nas grandes corporações, que imaginam que algo pode ser melhorado através de um processo feito “digitalmente”.

Deste ponto em diante, as empresas passam então a ficar totalmente envolvidas com a intenção de transformar digitalmente seus negócios, esquecendo que muitas vezes não têm as pessoas certas para a condução e a tomada da decisão e tão pouco estão lidando com as questões adequadas para atingir seus objetivos de transformação digital.

Não basta pedir para seus colaboradores reimaginarem o que fazem, por que fazem ou como fazem.

Para iniciar este processo de transformação, você precisa estimular as conversas certas e permitir uma análise profunda sobre suas propostas de valor.

É necessário abordar as questões chaves que precisam ser respondidas objetivamente e, mais importante, desafiar as equipes internas a pensar além da transformação digital, porque apenas esta abordagem não é o suficiente.

De fato, a transformação digital é uma questão de vantagem competitiva.

Criação de experiências, produtos ou serviços que não apenas transformam negócios individuais, mas que reimaginam completamente setores inteiros.

Você pode não só transformar seu negócio, mas reinventar o setor onde atua.

Alguns exemplos que estão ao nosso redor são as Fintechs que mudaram o mercado financeiro, a explosão do e-commerce durante a pandemia e os processos de entrega (Delivery) de produtos os mais variados.

Um outro exemplo interessante sobre aplicação da Transformação Digital, são os aplicativos de transporte como Uber, 99, Lyft e vários outros.

Antes, existiam as Cooperativas de Taxistas, mas nenhuma delas conseguiu transformar o negócio onde já operavam por décadas.

Como posso conseguir esta vantagem competitiva?

Comece avaliando detalhadamente suas propostas de valor!

Uma proposta de valor é uma declaração que responde ao “por que” alguém deveria fazer negócios com você.

Ela deve ser capaz de convencer os potenciais clientes que seu serviço ou produto terá mais valor para eles do que ofertas semelhantes da concorrência

A maioria inicia sua jornada para transformação digital, esperando que a tecnologia resolva tudo.

E o resultado final é, se o que você está tentando vender não projeta um valor para seus consumidores, então nenhuma tecnologia vai resolver esse problema para você.

Uma série de empresas com variados perfis e tamanhos, estão perdendo a oportunidade de mudanças positivas.

Por vezes, imaginam que basta fazer um planejamento uma vez por ano, talvez indo para um hotel chique por alguns dias, para falarem sobre mudanças com seus colaboradores e, depois, definirem isso como uma tendência, ou algo a ser feito, para o próximo ano.

Bem, isso não funcionará e deixará sua empresa para trás.

A menos que você esteja prestando muita atenção sobre o que seus consumidores dizem sobre suas propostas de valor e tenha agilidade para responder às necessidades deles, seu projeto de transformação não terá sucesso.

O grande ponto é: com a mudança do mercado e dos hábitos dos consumidores, você tem que continuar se reinventando. Você nunca poderá ficar parado.

A realidade para a maioria das organizações é que há uma série de prioridades concorrentes em todas as Áreas, competindo pelo ciclo orçamentário.

Portanto, a verdadeira questão a ser examinada é: “estou investimento meus recursos nas áreas certas?”

O que vemos repetidamente é que as empresas que têm sucesso na criação de vantagem competitiva são aquelas que estão colocando uma alta proporção de seus investimentos em suas tecnologias de front-end, ou seja, as Áreas que são mais visíveis para o consumidor.

Claro, as tecnologias de back office são importantes, porque são a base do seu negócio.

No entanto, na maiorias das vezes não é o back office que vai gerar vantagem competitiva.

Comprar ferramentas ou desenvolver em casa?

Não importa se você é uma Startup, uma pequena empresa ou uma corporação gigante já listada na Bolsa de Valores, toda organização precisa escolher de maneira inteligente, as ferramentas a serem usadas.

Em muitos casos, uma ferramenta que já esteja no mercado será a escolha perfeita.

Nunca esqueça que a Nuvem pode ser usada não só para validar suas ideias de transformação, como depois para o ambiente de produção.

Mas lembre! Usar exatamente as mesmas ferramentas que seus concorrentes não siginifica que você terá destaque e sucesso no mercado.

Por vezes, será necessário personalizar uma ferramenta existente ou até mesmo desenvolver algo que esteja alinhado com suas necessidades e foco para o mercado.

Esta personalização, ou criação de algo próprio, poderá ser seu diferencial, trazendo flexibilidade, controle e autonomia.

É fundamental que as ferramentas escolhidas estejam alinhadas com suas estratégias de mercado e que possam alavancar sua proposta de valor.

A melhor ferramenta é aquela que faz o que você precisa, quando você precisa.

Pense grande!

Resumindo: desafie-se a pensar além da transformação digital, porque é tudo uma questão de vantagem competitiva.

Não negligencie suas propostas de valor e pense com muito cuidado sobre como você está gerenciando seus recursos financeiros, especialmente no relacionamento com seus clientes.

Em seguida, desenvolva seus recursos técnicos para mantê-lo à frente de seus concorrentes e seja ágil para garantir que você esteja sempre, sempre centrado no cliente.

Não acredite em soluções mágicas e, acima de tudo, nunca fique parado.


Literatura adicional:

Acesso o site da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e veja a publicação A Caminho da Era Digital no Brasil


Outros artigos:

Pare de chamar tudo de Inteligência Artificial

Indústria 4.0 aplicada na pequena indústria

IoT e os dados dos sensores e do CLP

STEM e a importância para sua carreira

Can we please stop talking about ‘digital transformation’?


Image by Gerd Altmann from Pixabay
porRicardo Jorge

Você quer ser alguém ou ninguém?

Este artigo sobre Você quer ser alguém ou ninguém?, é uma reflexão sobre nosso comportamento como pessoas, profissionais e cidadãos.

Não é raro ouvirmos a seguinte sequência de frases:

Alguém precisa resolver isso.

Passado algum tempo …

Ninguém ainda resolveu isso?

Bem, dentro deste cenário, fica claro que não nos posicionamos como alguém, porque, caso ninguém tenha resolvido, também não parece ser nossa atribuição resolver!

Mantido esse ciclo, quer seja na nossa vida pessoal, profissional ou como cidadão, estamos sempre delegando aos outros nosso destino e a responsabilidade de criar os melhores caminhos e possibilidades.

Precisamos nos envolver e participar mais intensamente do nosso “destino”, deixando as polarizações de lado.

Aliás, parte das polarizações ocorrem porque não percebemos claramente a diferença entre país e nação.

Não basta apenas colocarmos nossa opinião nas várias redes sociais, mas contribuirmos com atitudes positivas e concretas.

Como pessoas, olhar ao redor para entender como nossas atitudes podem influenciar de maneira positiva nossas relações e melhorar a condição de alguém que necessite de nossa ajuda e atenção.

Como profissionais, aprimorarmos nossas aptidões, sendo éticos no desenvolvimento de nossas atividades e tarefas e, contribuindo para empresas que também sejam éticas e responsáveis para com a sociedade e o meio ambiente.

E, finalmente como cidadãos, avaliarmos as melhores opções para o “destino” de nosso país e de nossa sociedade.

Afinal, será neste país e nesta sociedade, onde seremos pessoas e profissionais, criando nossos filhos e filhas, cuidando de nossas famílias e zelando por uma sociedade melhor e mais justa.

E você, gostaria de ser alguém, ou ninguém?


Veja outros artigos:

STEM e a importância para sua carreira

O que você precisa saber sobre NFT

Indústria 4.0 aplicada na pequena indústria


Photo by Dimitar Belchev on Unsplash